Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2007

Brincadeiras que não se devem ter com crianças, eu sei, eu sei , mas que adultos como eu não resistem

Personagens:
• Eu
• Simão, 6 anos

Cenário:
Ao entrar no quarto do Simão, vejo o Risquinhas − o Simão costuma dormir com um tigre chamado Risquinhas − a meio caminho entre a cama e o parapeito da janela, com uma pata na borda daquela e o focinho neste, e interrogo:

− O que tem o Risquinhas? Vai-se suicidar? Atirar-se da janela? Voar do quarto andar e esborrachar-se lá em baixo?
O Simão olha atarantado para ele.
Eu, continuo, dramática:
− Está zangado com a vida? É por causa do desemprego? Da inflação? Da interrupção voluntária da gravidez?
O Simão deixa rapidamente a brincadeira em que se encontra embrenhado e apressa-se − pelo sim, pelo não − a ir deitar confortavelmente o Risquinhas bem no meio da cama, com a cabeça numa almofada que carinhosamente acomoda para ele.
Depois ri-se e garante:
− Não. Está só a dormir.

Moral da História (bolas, que chata! pá!) a falar:
Que vergonha, uma senhora tão crescida ter brincadeiras tão estúpidas e tão pouco pedagógicas, que até podem induzir a comportamentos perigosos, com uma criança pequenina! Shame on you! És pior que o pai do Calvin! Depois desta, o castigo: cinco mil chibatadas!
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 18:35
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sobre o Caminho (X)

© da imagem: Vladstudio

As vezes ainda choro. Ainda olho para trás. Ainda sinto. Esse insustentável peso do projecto falhado. Essa irreparável dor do investimento perdido. Esse irrecuperável tempo do esforço em vão. Mas não será isso que me deterá. O caminho, Meu Amor, faz-se caminhando. Um passo depois do outro. Sempre. Para a frente.

Na imagem: Lunata “lutando” com o caminho.
 
tags:
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 02:13
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 30 de Janeiro de 2007

Sobre a Despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez: Reflexões (III)

Parece ser consenso dos defensores do “sim” e do “não” que as mulheres que recorrem ao aborto vivenciam – carregando-a durante toda a vida – uma situação extremamente traumatizante e não desejada.
Devem, então, as mulheres em risco de a ele recorrerem serem aconselhadas, informadas e acompanhadas no sentido de poderem ser criadas condições para este poder vir a ser evitado. Ora, parece-me que em nada, absolutamente em nada, uma lei que não as condene, que não as culpabilize ainda mais afectará negativamente este processo. Antes pelo contrário: ajudá-las-á a recorrer mais cedo, sem medo e sem vergonha, às entidades competentes para tal.
Por outras palavras, o que defende o “sim”, não exclui o que defende o “não”, se todos se empenharem na implementação de um sistema de aconselhamento e acompanhamento a estas mulheres.
Também parece consenso dos defensores do “não” e do “sim” que o mundo não é perfeito e que haverá SEMPRE quem recorra ao aborto.
Uma lei que permita a estas mulheres, mais uma vez sem medo e sem vergonha, recorrerem a cuidados de saúde dignos, evitará mortes. Se não a do feto e a da mãe – como seria o ideal – pelo menos a da mãe. E, quem sabe, até a deste, se ao passarem por esse aconselhamento e acompanhamento não acabem demovidas do seu propósito.
Por tudo isto: "Sim".
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 17:37
link do post | comentar | favorito
Domingo, 28 de Janeiro de 2007

Hoje

Foto do filme: Match Point

Hoje fizemos amor, partilhamos cigarros e abandonamo-nos em conversas despreocupadas, no conforto do corpo um do outro.
Hoje deslizamos no branco imaculado dos lençóis do hotel de cinco estrelas, pedimos ceias nocturnas, ouvimos notícias a que não prestamos atenção;
Debicamos amendoins, saboreamos champanhe e vinho tinto, adormecemos e voltamos a acordar;
Vimos partes de filmes, pedaços de talk-shows, flashes de informação, outras vidas, em zapping.
Hoje ouvimos a cidade despertar; a água, nos canos, do acordar dos "vizinhos"; o céu clarear, lá longe, no recorte imenso da nossa janela.
Hoje tomamos o pequeno-almoço no quarto: ovos mexidos e bacon, croissants, compotas, cereais e sumos;
Lemos, descontraídos, os jornais, no canapé da suite, tocando-nos hipnoticamente, deliciosamente, ao de leve.
Hoje voltamos a abraçar-nos com força, a desapertar os botões de punho e o soutien, a respirar o mesmo ar, a mover-nos em sintonia.
Hoje ouvi-te falar como já não tinha memória, enrosquei-me no teu ombro como já não imaginava e adormeci feliz como já não achava possível.
E hoje, Meu Amor, já foi há tanto tempo!…
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 03:30
link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Janeiro de 2007

O Düss hoje acordou assim...™



Xiça, todo a suar! Com um pesadelo do caraças!
 
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 03:42
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2007

That`s what friends are for*

Dez dias depois de ter deixado de ser visto pela última vez e precisamente um quarto de hora depois dela ter saído, Düss El Dwarf, apareceu.
Vinha cabisbaixo, pouco falador, muito metido com os seus pensamentos.
Eu podia ter-lhe perguntado por onde andou, queixar-me do incómodo de ter tido a casa literalmente invadida por uma gnoma grávida que não conheço de parte nenhuma, inquiri-lo das suas responsabilidades no estado de tal criatura. Podia lembrar-lhe que não era fugindo que se resolviam os problemas, que os homens (e também os gnomos com mais de três anos**) se querem adultos, responsáveis e não ratos, medrosos, e que o egoísmo tem o seu limite exactamente quando interfere com a vida de terceiros.
Podia ter feito tudo isto, mas não o fiz. Pelo contrário, dirigi-me ao frigorífico, retirei de lá uma garrafa enorme de cerveja que despejei, equitativamente, em duas canecas. Estendi uma a Düss El Dwarf e outra atirei de um trago, goela abaixo. Depois, arrotei. Estridentemente, solidariamente com o meu amigo.

 

* titulo de uma canção de Stevie Wonder
** idade a que os gnomos atingem a maturidade
 
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 19:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2007

[Muito] treino


Depois da performance − estreia dela nas artes dramáticas − o marido, ufano, gaba-se aos amigos e família que ela, a sua mulher, foi capaz de chorar maravilhosamente bem em palco.
O que ele não sabe, nem lhe interessa, é porquê.
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 18:23
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2007

Mais uma vez...

... porque nunca é de mais lembrar:

Assine e Divulgue a Petição Contra a Implementação da Experiência Pedagógica TLEBS em http://www.ipetitions.com/petition/contratlebs/tlebs.html

A Petição tem já mais de 8.000 assinaturas e ficará disponível para assinatura até às 02:00 horas de quinta-feira, dia 25.01.2007.
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 18:30
link do post | comentar | favorito

Percebes, agora, por que é que eu não me importo de ter asas?

Na foto: Doutzen Kroes
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 16:07
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sobre a Despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez: Reflexões (II)

"...
- pagar as contas de hospital, muitas vezes os enterros, destas crianças, quando são deixadas a cargo dos tais pais contrariados que, em combinação com personalidades disfuncionais, alcoolismo, drogas e crueldade pura, as negligenciam, maltratam fisica e psicologicamente e, por vezes, as matam?

...
... gastar os meus impostos a alimentar os podres de um sistema que, basicamente, se está a cagar para o destino das criancinhas, uma vez fora do útero, e que permite que andem em bolandas de sofrimentos vários, isso é que NÃO, OBRIGADA.
...
" [escrito por Vieira do Mar, no Controversa Maresia]
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 15:41
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007

Mais Um*


Ainda me lembro do castor, ou melhor, da pele dele, enorme, branca e beije, a parecer a do monstro do “Never Ending Story”, escalpada, boiando sobre as águas escuras de uma estranha piscina da Granja que mais parecia um assustador parque temático. Ainda me lembro dele gemendo. Gemendo ruídos de castor, ou seriam gritos agonizantes de dor?…
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 16:39
link do post | comentar | favorito

Eu hoje acordei assim...™

© Ray Caesar
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 01:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2007

Informações a custo zero

Não é que agora pegou moda − já me aconteceu no Jumbo, já me aconteceu no Toys` u`Us − após uma compra, pedirem-nos, assim, como se não quer a coisa, como se até nem fosse muito importante, nem muita maçada para nós, o número do código postal?!
E o povinho embarca todo naquilo, inocente, e, mesmo os que estranham acabam por ceder, coitada da menina da caixa que até é muito simpática e aquilo é só para fins estatísticos (diz ela, muito vaga, que foi o que lhe disseram a ela), e nem tenho que dar o nome nem nada.
Ora, o que o povinho não sabe (e o que sabe, parece não se querer lembrar) é que por trás da simpática menina, coitada, estão grupos económicos poderosíssimos a utilizarem para estudos de mercados, a custo zero, dados importantes do consumidor. Essas estatísticas de que as meninas falam e dizem sem importância, dão, por exemplo, informações ao grupo Auchan de onde vêm os seus consumidores, possibilitando-os, vejam só!, projectar a abertura de uma nova área comercial mesmo à portinha de casa dos seus clientes. E tudo isto, friso, a custo zero! Nada de pagar a empresas especializadas, nada de pagar a pessoal para inquéritos, nada de pagar ao consumidor pela preciosa informação fornecida. Quase me atrevo a dizer que nem extra, por isto, pagam à menina da caixa.
E o pior é que hoje nos estão a pedir o código postal, amanhã o nome e o número de telefone, é que isto da habituação é tramado e quem dá uma coisa, dá outra num instante, pois o que quer é despachar-se depressa, pagar e pôr-se a andar dali, que o marido está à espera no carro e os putos insuportáveis, às turras.
Não sendo jurista, pergunto-me, até que ponto será legal usarem (e abusarem) assim da ingenuidade, desinformação e boa fé dos consumidores?!
E se legal for, olhem, garanto-vos, moral não é certamente!
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 16:50
link do post | comentar | favorito

Momentos de Glória (III)

© Foto:Alan Steffen
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 15:36
link do post | comentar | favorito

Jardins de Inverno...™

Versão Infantil, no NAVEGANDO no TEMPO, já desde dia 18 de Janeiro.
Com letras, música e tudo!
publicado por Sofia Bragança Buchholz às 05:38
link do post | comentar | favorito

Espelho meu...

Nome: Eterna Descontente
Local: Lua, Mundo da Lua
eternadescontente@gmail.com

O meu alter-ego:
Sofia Bragança Buchholz

© Reservados todos os Direitos de Autor. Todos os textos, excepto quando devidamente assinalados, são da autora e a sua reprodução encontra-se interdita.

Sofia Bragança Buchholz

Era uma vez...

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Fevereiro 2015

Novembro 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Maio 2013

Março 2013

Janeiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Outubro 2004

Setembro 2004

tags

todas as tags

pesquisar

subscrever feeds